Mostra Nacional de Robótica (MNR)

MNR

A Mostra Nacional de Robótica (MNR) é a maior mostra de trabalhos de robótica do País. Os trabalhos podiam ser apresentados na Mostra Presencial e também publicados nos Anais do evento e na Mostra Virtual. A MNR busca valorizar o conhecimento interdisciplinar e integrado, estimulando a submissão de trabalhos na fronteira entre a robótica e diversas outras áreas do conhecimento, tais como artes, humanidades, ensino, ciências e inovação, além das áreas tradicionais, como elétrica, mecânica e computação. A mostra caracteriza-se ainda por sua linguagem abrangente e inclusiva, aceitando trabalhos nos formatos de arquivo multimídia, além do tradicional artigo científico. Podem ser inscritos trabalhos de alunos dos ensinos fundamental, médio, técnico ou superior, bem como de pós-graduandos ou pesquisadores. A MNR premia anualmente os melhores trabalhos virtuais e presenciais de diferentes formas. A Mostra Presencial 2015 foi realizada no período de 28 de outubro a 1º de novembro/2015, na cidade de Uberlândia-MG, em conjunto com a Competição Brasileira de Robótica (CBR) e as finais da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR). O Colégio Cenecista Dr. José Ferreira participou da MNR com o projeto "Domótica- Automação Residencial", composto de uma maquete de uma residência onde foram instalados leds, simulando lâmpadas e um sensor de temperatura para acionamento de um cooler, simulando um ar-condicionado. A maquete foi construída no Makerspace, espaço do Colégio destinado à implementação de projetos das mais variadas áreas do conhecimento, no qual se disponibilizam instrumentos e ferramentas, sempre com acompanhamento de professores. Toda a parte de instalação de equipamentos e programação foi feita no Laboratório de Robótica, espaço destinado ao desenvolvimento de projetos das áreas de Robótica e Eletrônica e também para a realização das aulas dos cursos nestas duas áreas, ambos oferecidos pelo Colégio. Na programação, utilizou-se o Arduino UNO, que é uma placa microcontroladora, em conjunto com o Arduino Ethernet Shield, que permite que uma placa Arduino se conecte à internet ou à rede ethernet local. Além da linguagem própria de programação do Arduino, utilizou-se a linguagem HTML para que o monitoramento dos leds e da temperatura no interior da casa fosse possível de ser f eito, utilizando-se, por exemplo, um celular.

Participaram do projeto alunos do 1º e do 2º ano do Ensino Médio, sob a orientação dos Professores José Humberto Alves de Brito (Betão) e Roberto Salgado Gonçalves Filho.

O Colégio, que obteve o 2º lugar na 1ª MTEC (Mostra Técnica de Software), promovida pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro (IFTM), mostra toda a sua capacidade para desenvolver e aplicar instrumentos de ampliação da capacidade cognitiva e de construção de seus alunos.

MNR MNR

Mais fotos da Mostra Nacional de Robótica

I MTEC - Mostra Técnica de Software

I MTEC

Mais fotos da I MTEC

Os alunos Rafael Passos, Felipe Seitz e André Emmanuel, do curso de Robótica do Colégio Cenecista Dr. José Ferreira, todos do Ensino Médio, participaram no dia 21/10, quarta-feira, da 1ª MTEC (Mostra Técnica de Software), promovida pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro (IFTM). Eles construíram uma escada musical utilizando uma placa Arduino. O projeto é composto por sete sensores de distância, um para cada nota da escala musical, sendo que cada sensor é instalado em um degrau da escada. Por meio de sensores ultrassônicos que emitem ondas sonoras de alta frequência, pode-se determinar a distância da pessoa a ele, e é essa distância que irá direcionar para a respectiva nota musical. O papel da programação consiste na determinação da distância máxima analisada pelo sensor, gerenciando as frequências sonoras que representam cada nota. As notas são emitidas com certas frequências que se aproximam do instrumento piano e são reproduzidas através de caixas de som ligadas diretamente à placa Arduino. O objetivo do projeto é incentivar as pessoas a praticarem exercícios físicos no seu dia a dia com maior frequência e naturalidade, evitando o sedentarismo. Em função do entretenimento gerado pelas notas emitidas pela escada musical e de sua aparência incomum, que desperta a curiosidade de quem a utiliza, as pessoas tendem a preferi-la à escada rolante. Ela pode ser utilizada também para acessibilidade, de maneira que deficientes visuais possam, por intermédio dos sons emitidos por cada degrau, definir o local da escada em que se encontram. Parabéns aos professores José Humberto Alves de Brito e Roberto Salgado, que coordenaram o projeto, e aos nossos alunos pela brilhante conquista do 2º lugar na Competição da MTEC. Esses alunos foram contemplados com bolsas de iniciação científica do CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - para darem continuidade ao desenvolvimento do projeto.

Parabéns a todos os envolvidos nesses projetos. Uma excelente participação que mostra o quanto nossos alunos estão preparados para enfrentar os desafios que irão encontrar.